Como e por que avaliar os conselheiros das empresas?

Thais Pegoraro - Sócia da EXEC

Como e por que avaliar os conselheiros das empresas?

O Conselho possui uma enorme relevância para o alcance da estratégia e do modelo ideal de governança da empresa. Ele confere maior assertividade ao processo decisório, à gestão de riscos e à transparência, contribuindo para a longevidade e sucesso da organização.

No entanto, o sucesso dessa jornada guarda relação direta com o desempenho e a efetividade do conselho no papel de seus membros e suas entregas, se de fato eles estão cumprindo adequadamente com o esperado e entender se a dinâmica do grupo está gerando valor para a organização.

Pensando em impactar positivamente esses processos, a EXEC, responsável pela estruturação de diversos conselhos em todo o país, desenvolveu o Assessment de Efetividade do Conselho, uma solução criada para avaliar a efetividade de um conselho sob a ótica de 5 dimensões: (1) a dinâmica do grupo, (2) a maturidade digital dos membros conselheiros, (3) seu alinhamento com a estratégia, (4) com o propósito e a cultura organizacional da empresa, além de (5) seu alinhamento com os membros executivos.

Ao final do projeto, a EXEC apresenta um relatório com seu diagnóstico a partir dessas 5 dimensões, face a identificação de oportunidades de desenvolvimento e para o melhor aproveitamento daquilo que o conselho já apresenta como pontos fortes, sempre com o objetivo de elevar o nível das contribuições do conselho para a empresa, seus acionistas e colaboradores. Dentre as ferramentas usadas para chegar a esse processo final, podemos citar: 

  • Questionário de Autoavaliação de Conselheiro englobando as 5 Dimensões
  • Avaliação do nível de Consciência Digital – Assessment 4.0® individual
  • Avaliação dos valores impulsionadores do grupo pelo Small Group Assessment (“SGA”) do Barrett Values Centre - BVC International

O desenho da solução Assessment de Efetividade do Conselho foi liderado pelos sócios da EXEC, Juan Pablo Correa e Thais Pegoraro, das áreas de Executive Search e Leadership Advisory. Ambos possuem uma vasta experiência em projetos de avaliação de líderes e altos executivos de empresas de diferentes setores na América Latina.

“O Conselho tem a responsabilidade indiscutível de prestar contas aos acionistas, provocando e sendo provocado, para entregar o melhor no conjunto dos seus membros. Temos constatado o quanto as dinâmicas se otimizam face a identificação e compartilhamento dessas oportunidades de melhoria, elevando o nível de contribuição individual e coletiva”, ressalta Thais Pegoraro, sócia da EXEC.