Empresas adotam teste para entender como executivos lidam com transformação do negócio

Fonte: SA Varejo

Antes de ser contratado, Flávio Borges (foto), diretor financeiro do Tenda Atacado, foi aprovado em análise que identificou seu mindset digital. Conheça outros bons exemplos de Carrefour e GPA

Flávio Borges (foto), 34 anos de idade, se surpreendeu ao participar do processo seletivo para a vaga de diretor financeiro que ocupa hoje no Tenda Atacado . O executivo foi submetido a um teste específico para saber se o seu mindset era mesmo digital. “Tive a certeza de que eu estava no caminho certo e, para a empresa, serviu como uma segurança na continuidade da sua transformação digital e expansão”, resume Borges.

Para Carlos Eduardo Altona, sócio-fundador da EXEC , a transformação digital nas empresas foi tão forte nos últimos anos, que o resultado do estudo não surpreende. Especializada em capital humano, a consultoria acaba de lançar no Brasil a avaliação idealizada pela companhia espanhola Foxsize para investigar a consciência digital no alto escalão das empresas.

Uma das principais conclusões é que, se a pessoa não tem familiaridade digital como usuário, o mesmo acontecerá nos negócios. É nisso que acredita o diretor financeiro do Tenda Atacado, com 34 lojas no Estado de São Paulo e faturamento de R$ 3,5 bilhões ao ano. A varejista profissionalizou sua gestão e investe atualmente em CRM, na implementação de novos sistemas e na ampliação do seu e-commerce, que, além do esquema click e collect, atuará também com delivery.

Altona, da EXEC, confirma a impressão de Borges. “O pensamento digital é percebido na maneira como o indivíduo gerencia a sua própria identidade na internet, usando a tecnologia a seu favor”, observa. Com mais de 17 mil pessoas entrevistadas em 16 anos de carreira, ele conta que a principal diferença de perfil está na iniciativa. Os executivos reconhecidos como “digitais” procuram absorver novos aprendizados de forma mais contínua e autônoma. O especialista lembra que, quando o boom digital começou, em meados de 2000, a maior parte dos líderes, hoje com idade entre 40 e 50 anos, já havia nascido. O que não é o caso dos profissionais de nível gerencial. Como tendem a ser mais novos, têm maior aptidão com os recursos tecnológicos.

Dados de pesquisa feita pela EXEC, responsável pelo teste aplicado no Tenda Atacado, com 30 mil profissionais de 25 países.

22% do alto escalão (apenas) está preparado para as mudanças da era 4.0. Já entre os gerentes, esse percentual é bem maior: 74%

Como funciona o teste de “DIGITALIDADE” dos executivos

Chamado Assessment 4.0, o programa de avaliação de executivos da EXEC funciona da seguinte forma:

  • começa pelo alinhamento estratégico da empresa
  • em seguida, vem o teste online dos candidatos, entrevista de validação, devolutiva individual e apresentação de resultados
  • do diagnóstico à seleção e recrutamento, o projeto costuma levar até três meses de implementação
  • já a transição digital nas empresas demora de dois a três anos, em média, para ser incorporada

O varejo está entre os segmentos mais afetados pela transformação digital. só perde para o próprio setor de tecnologia e para o mercado de mídia. desbanca até as fintechs na briga para saber quem toma conta do dinheiro das pessoas do jeito mais inovador

Carrefour do analógico para o digital
O Carrefour aposta na convivência com startups para se adaptar aos novos tempos, seja por meio de prestação de serviços, seja adquirindo algumas dessas operações. No primeiro caso, utiliza a 99Jobs para recrutamento de profissionais de menor escalão. “A seleção dos demais executivos está em fase de estudo”, afirma Cristiane Lacerda, diretora de desenvolvimento organizacional e talentos do grupo.

Já no segundo modelo, adquiriu em 2018 a e-Mídia, empresa de conteúdo digital sobre alimentação e bem-estar, reforçando a cultura digital da empresa, que passou a controlar os sites Cyber Cook , Vila Mulher e Mais Equilíbrio .

Há ainda parcerias com fintechs. O Banco Carrefour anunciou, em outubro, a compra de 49% da Ewally , marcando sua entrada no segmento de contas digitais. Há cerca de dois anos, o banco imprime uma estrutura mais ágil, puxando a evolução da companhia. “Para mudar a mente analógica para a digital, é preciso estar disposto a testar e reaprender”, frisa Cristiane. O Carrefour ainda mantém grupos de diretores que disseminam a gestão digital para apoiar o processo de transformação da companhia.

GPA desenvolvimento na era 4.0
“Mapear o quão digital os colaboradores são é algo positivo”, afirma Maria Schneider, diretora de atratividade e desenvolvimento organizacional do GPA . Segundo ela, isso permite identificar os gaps e trabalhá-los de forma assertiva. Em outubro, a companhia passou a utilizar uma plataforma de recrutamento e seleção totalmente digital. Desenvolvida pela Gupy, conta com inteligência artificial para identificar os perfis com maior aderência a cada bandeira, região e cargo.

Já os treinamentos usam gameficação, novelas, webseries e sessões em formato “youtuber”, além de exercícios presenciais com realidade virtual e conteúdos de formação técnica já digitalizados. Para criar um ambiente perene de inovação, executivos e colaboradores do GPA mantêm contato frequente com startups. Na agenda, estão a plataforma de entregas James Delivery , adquirida pelo grupo no ano passado, e a Cheftime , de kits gastronômicos, cujo controle do capital social aconteceu em novembro último. Com o GPA Lab Foodtech , espaço criado no Cubo Itaú, já foram mapeadas mais de 200 startups e realizados cerca de 150 encontros. O laboratório ainda tem uma parceria com a Liga Retail para prospecção e relacionamento.

Confira a matéria original no link: https://www.savarejo.com.br/detalhe/negocios/empresas-adotam-teste-para-entender-como-executivos-lidam-com-transformacao-do-negocio