Otimismo no início do ano promove aumento de 47% na contratação de altos executivos

Fonte: Segs

Embora o desempenho da economia não tenha correspondido às expectativas do mercado, as empresas estão fazendo sua parte e apostam em uma virada. As contratações de executivos para posições no alto escalão cresceram 47% aponta levantamento da EXEC.

Após anos de estagnação, indústria puxou alta. Agronegócio manteve volume de contratações

Embora não tenham se confirmado as expectativas otimistas de crescimento no primeiro trimestre, as empresas fizeram sua lição de casa e se programaram para uma forte mudança no cenário econômico do país. Boa parte das companhias revisaram sua estratégia de negócios e realizaram contratações e substituíram executivos no alto escalão.

Este movimento foi detectado pelo balanço de contratações da EXEC, consultoria brasileira líder na seleção de executivos para posições de liderança e conselho, que apontou aumento de 47% no volume de contratações no 1º trimestre de 2019 em relação ao mesmo período de 2018.

Os diretores financeiros, que no primeiro trimestre de 2018 foram os mais disputados pelas empresas, perderam espaço para profissionais de gestão geral e das áreas comerciais nos 3 primeiros meses deste ano. Vagas nas áreas de gestão geral representaram 15% do total de posições trabalhadas pela EXEC, seguida de diretores comerciais (12%), engenharia e manufatura (12%), RH (11%) e diretores financeiros (10%).

De acordo com o sócio executivo da EXEC, Daniel Cunha, as movimentações ocorreram com maior força na indústria, em especial nos setores automotivos e bens de consumo. “São setores que há mais de dois anos estavam completamente estagnados e ensaiaram uma movimentação no início do ano. Muitos projetos de novas vagas e substituição estão engatilhados, aguardando a agenda de reformas para que haja uma reação positiva do mercado”, informa.

Os setores que mais contrataram no primeiro trimestre de 2019 foram bens de consumo (12% das posições), construção civil (12% das posições), Seguros e serviços financeiros (11%), logística (10%) e RH (10%). “No ano passado, setores industriais e de suporte à indústria como bens de consumo, logística e RH sequer figuravam entre os 5 que mais contrataram”, aponta Cunha.

A EXEC ainda detectou um aumento médio real superior a 30% nos salários, sendo que o percentual médio bruto de remuneração chegou à casa de 36% na comparação entre os o 1º trimestre de 2019 e 2018.

“No ano passado havia uma hegemonia do agronegócio e, embora o setor tenha se mantido regular em suas contratações, acabou sendo superado por empresas de segmentos que há muito tempo estavam estagnados”, analisa. O agronegócio no ano passado respondeu por 14% das vagas trabalhadas pela EXEC, em 2019 não ultrapassou a marca de 8%, mas o volume de posições se manteve.

Outro aspecto monitorado pela EXEC é o percentual de vagas referentes a substituições de profissionais em comparação com a criação de novas vagas. Ano passado 90% das posições se referiam a substituições contra 10% de novos quadros, enquanto que neste ano o número de novos projetos aumentou sensivelmente para 18%, um indicador positivo para a economia real.

Matéria original: https://www.segs.com.br/seguros/172436-otimismo-no-inicio-do-ano-promove-aumento-de-47-na-contratacao-de-altos-executivos